domingo, 22 de agosto de 2010

É, somente
o rio que deambula













...passa
por aqui onde me encontro-
e não estou -
e esbarra no nada!

Normal,
esta linhagem, principio e vida
que albergo e penso, nela
concentro o poder imenso
do pensar em verso
inversamente
ao rio.

Fixo!

3 comentários:

  1. Gosto muito, principalmente da parte final.

    ResponderEliminar
  2. Deixa-me dizer-te que os rios também andam em versos, chegando, mesmo, a formar estrofes com diverso número de versos.

    ResponderEliminar
  3. "Pensar em verso
    inversamente ao rio"
    Bonito demais para ser comentado!
    Obrigada por me recordares dessa forma tão genuina, como sempre foste!!! Beijinho grande!

    ResponderEliminar